A SAÚDE HORMONAL FEMININA
01/08/2017
A mulher deve estar atenta e prevenir-se quando o assunto é hormônios.

Por Eduardo Gomes de Azevedo

Desde a adolescência, a mulher se defronta com a complexidade hormonal. Geralmente, nas fases de crescimento, puberdade, gestação e menopausa, ocorrem novas e marcantes alterações fisiológicas e psicológicas, sendo importante acompanhar os níveis hormonais.

Os hormônios fazem a comunicação entre as diferentes células do organismo. Estão envolvidos com sono, apetite, inflamações, densidade óssea, função vascular, enxaquecas, câncer e saúde mental.  

Nesse campo a ciência evoluiu muito no que se refere às prevenções terapêuticas e seguras sobre a reposição e modulação hormonal. Ambas ajudam a retardar o envelhecimento e a reverter os seus efeitos sobre o corpo humano, reduzindo o estresse oxidativo e as inflamações crônicas, preservando a energia celular.

É recomendado checar os hormônios a partir dos 30 anos, pois é aí que eles iniciam sua redução e passam a ser metabolizados mais lentamente na mulher. Na perimenopausa (antes da menopausa) e na menopausa, a produção de progesterona tende a declinar mais rapidamente em relação ao estrogênio, que pode ficar em excesso e tornar a mulher suscetível a: irritabilidade, retenção de líquidos, doenças mamárias. Nessas fases, a mulher que optou pela modulação hormonal sente melhora no humor, memória, sono, cabelo, libido e retenção de líquidos.

A modulação hormonal pode ocorrer em qualquer idade, especialmente se ela tiver diabetes do tipo 2, que pode gerar deficiência do hormônio melatonina e predispor ao câncer, estresse e cansaço.

Os hormônios sexuais DHEA e o DHEA Sulfato têm efeito em muitas células e tecidos do corpo, regulando a inflamação - a força propulsora que gera muitas doenças. Por isso, uma pequena dose diária, para a mulher que necessita, pode ajudar muito no aumento da libido, bem-estar e função vascular, sem apresentar efeitos adversos.       

A mulher deve estar atenta e prevenir-se quando o assunto é hormônios. A reposição ou modulação hormonal devem ser estudadas ao início de qualquer sintoma ou próximo da menopausa, a fim de se manter a saúde e a qualidade de vida.

* Dr. Eduardo Azevedo é sócio da Clínica Anna Aslan

FEMALE HORMONAL HEALTH

Since adolescence, woman faces hormonal complexity. Generally, in the phases of growth, puberty, pregnancy and menopause where new and striking physiological and psychological changes occur, being important to accompany hormonal levels.

Hormones make the link among the different cells of the organism. They are involved with sleep, appetite, inflammation, bone density, vascular function, migraines, cancer and mental health.  

In this field, science has developed a lot regarding therapeutic and safe preventions over hormonal replacement and modulation. Both help delaying aging and reverting its effects over human body reducing oxidative stress and chronic inflammations preserving cellular energy.

It is recommended to check the hormones from the age of 30, since it is then they start reducing and metabolizing more slowly in women. At perimenopause (before menopause) and at menopause, the progesterone production tends to decline faster in relation to estrogen that tends to be excessive and make women more susceptible to: irritability, retention of liquids and breast diseases. In this phases women that have opted for hormonal modulation feels an increase in humor, memory, sleep, hair, libido and retention of liquids.

Hormonal modulation can occur at any age, especially if the woman has type 2 diabetes that can generate deficiency of melatonin and predispose to cancer, stress and fatigue.

The sexual hormones DHEA and DHEA Sulfate have an effect in many body cells and tissues regulating inflammation – the driving force that generates many diseases. Thus, a small daily dose for the needing woman can help a lot in increasing the libido, wellbeing and vascular function without presenting side effects.

Women should be attentive and preventive regarding hormones. Hormonal replacement or modulation should be studied since the beginning of every symptom or next to the menopause in order to keep health and quality of life.

 

Anna Aslan