INSUFICIÊNCIA VENOSA CRÔNICA - ESCLAREÇA SUAS DÚVIDAS
17/07/2015
Esse problema é decorrente de uma falha no funcionamento das válvulas que bombeiam o sangue das pernas ao coração.

          A insuficiência venosa crônica (IVC) é uma anomalia no funcionamento do sistema venoso provocada quando o sangue não retorna corretamente para o coração. As artérias são incumbidas pelo transporte de sangue e oxigênio do coração para os demais órgãos do corpo. Quando ocorre uma incapacidade das pernas bombearem sangue de volta para o coração, pode trazer graves danos à saúde.

          Esse problema é decorrente de uma falha no funcionamento das válvulas que bombeiam o sangue das pernas ao coração. As válvulas atuam impedindo o refluxo do sangue nas pernas; por isso, os músculos da panturrilha se contraem impulsionando o sangue para o coração. E, ao ocorrer uma falha no funcionamento das válvulas, acontece a IVC.

          Há vários fatores que contribuem para a incidência da IVC e, entre os principais fatores de risco para insuficiência venosa, destacam-se: predisposição genética; obesidade; gravidez e pós-parto; veias varicosas; pílulas anticoncepcionais; tabagismo; trabalhar muito tempo em pé ou sentado; viagens aéreas ou terrestres que obriguem o passageiro a ficar sentado por muitas horas.

          A trombose venosa profunda (TVP) é outro fator que obstrui o fluxo do sangue, agravando em lesões permanentes as válvulas venosas e, dessa forma, contribuindo para a elevação da pressão no interior das veias.

Sintomas IVC e TVP: peso ou dores nas pernas, coceira e formigamento, aumento da dor quando a pessoa fica em pé, alívio da dor quando as pernas são levantadas e inchaço são alguns dos sintomas apresentados por quem foi acometido pelo IVC. Além desses, o paciente pode exibir vermelhidão nas pernas, mudança de cor da pele ao redor dos tornozelos, varizes superficiais, espessamento da pele nas pernas e nos tornozelos e úlceras nas pernas e tornozelos.

Como prevenir e tratar: manter o peso dentro do padrão; evitar o tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas; praticar exercícios físicos; sempre realizar os exames de rotina; redobrar os cuidados em casos de antecedentes na família (a predisposição genética contribui para a IVC).

O tratamento tem por objetivo evitar a formação de coágulos ou promover sua reabsorção pelo organismo. É importante buscar orientação de um especialista para que ele indique os medicamentos anticoagulantes e os fibrinolíticos indicados ao seu caso para dissolver os trombos. Em situações mais graves requer intervenção cirúrgica.

Outras recomendações: evite a automedicação em caso de suspeita de ter desenvolvido um trombo; evite o consumo de bebidas alcoólicas e de remédios para dormir; opte por roupas e calçados folgados e confortáveis; não permaneça por longos períodos na mesma posição durante as viagens longas; faça exercícios de rotação, flexão e extensão com as pernas e os pés enquanto estiver viajando; use meias elásticas; beba muito líquido para evitar a desidratação.

Dr. Ary Elwing